a Puroesporte: Brasil leva três pratas no último dia do judô nos Jogos Paralímpicos
Subscribe: flickr

Ads 468x60px

sábado, 10 de setembro de 2016

Brasil leva três pratas no último dia do judô nos Jogos Paralímpicos


Antônio Tenório conquista a prata: sua sexta medalha
No dia 14 de agosto de 2015, a mexicana Lenia Alvarez derrotou a brasileira Alana Maldonado na decisão da categoria até 70kg do judô nos Jogos Parapan-Americanos Toronto 2015.

Neste sábado(10), pouco mais de um ano depois, as duas voltaram a se enfrentar, na decisão do Rio 2016. E, mais uma vez, mesmo com a torcida a seu favor na Arena Carioca 3, Alana não conseguiu superar a mexicana e ficou com a prata.

O Brasil fechou o último dia do esporte nos Jogos com outras duas pratas, obtidas pelo veterano Antônio Tenório, de 45 anos, na categoria até 100kg, e por Wilians Araújo na categoria acima de 100kg.

A mexicana foi soberana no combate decisivo. Agressiva, forçou a brasileira a se defender incansavelmente, o que acabou lhe rendendo uma punição. Com 1min25s de luta, Lenia conseguiu imobilizar a brasileira no solo e garantiu o ouro, seu primeiro nos Jogos – foi prata em Pequim 2008. "Fiquei triste no fim da luta, pois meu sonho era ganhar o ouro e foi para isso que eu vim. Mas, não há como ficar chateada com uma prata na minha primeira participação nos Jogos, ainda mais dentro da minha casa. Estou muito feliz, foi fantástico", disse Alana.

Na categoria até 100kg do masculino, o veterano Antônio Tenório, de 45 anos, aumentou ainda mais sua história no paradesporto brasileiro. Principal nome do judô do país, o experiente lutador conquistou sua sexta medalha nos Jogos, a primeira de prata, após ser derrotado por ippon pelo sul-coreano Gwangeeun Choi, que chegou ao bicampeonato Paralímpico. Tenório também soma quatro ouro e um bronze, obtidos entre Atlanta 1996 e o Rio 2016.

"Minha prata me credencia para Tóquio 2020", disse Tenório, que não pensa em aposentadoria.

Na categoria acima de 100kg, Wilians Araújo, de 24 anos, sofreu uma derrota relâmpago para Adiljan Tuledibaev, do Uzbequistão. Com apenas dois seguntos de combate, o uzbeque, atual campeão mundial e asiático, conseguiu um ippon e conquistou seu primeiro ouro nos Jogos. Com as conquistas de Alana, Tenório e Wilians, o Brasil chega à sua terceira prata no Rio 2016. Na sexta (9), Lucia Teixeira também foi vice-campeã, na categoria até 57kg.

0 comentários: