a Puroesporte: Sérgio Oliva fatura o bronze no Hipismo Adestramento na classe IA
Subscribe: flickr

Ads 468x60px

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Sérgio Oliva fatura o bronze no Hipismo Adestramento na classe IA


Sérgio Oliva comemora a conquista da medalha de bronze
O cavaleiro Sérgio Oliva conquistou nesta quinta-feira, 15, a medalha de bronze na final individual da classe IA no Hipismo Adestramento dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Montando a égua Coco Chanel, o brasiliense de 34 anos fez 73,826% e a nota alta deixou a torcida em expectativa por uma medalha até o final da prova.

“Foi um sonho que eu realizei hoje. Eu estou há 14 anos trabalhando para isso e conquistar uma medalha Paralímpica em casa é um privilégio. Essa medalha de bronze é minha e ninguém tira. Foi uma medalha muito suada depois de 19 conjuntos e três horas e meia de agonia, eu consegui”, contou o mais novo medalhista paraolímpico do Brasil. Sérgio é o segundo Sul-Americano a conquistar uma medalha em Jogos, o primeiro foi o também brasileiro Marcos Fernandes Alves, em Pequim 2008.

Sergio Oliva foi o líder da competição até o 19º conjunto entrar na pista. A amazona britânica Sophie Christiansen / Athene Lindebjerg fez a maior nota do dia e sagrou-se tricampeã paralímpica com 78,217%. Foram 25 competidores e até o 24ª o brasileiro era medalha de prata. Até que outro conjunto britânico entrou na pista. Anne Dunham / LJT Lucas Normark alcançou a pontuação de 74,348% e conquistaram o segundo lugar. A soma dos resultados da prova por equipes com os individuais dos quatro conjuntos brasileiros, deu ao Brasil o sétimo lugar geral, resultado histórico.

Sérgio teve paralisia cerebral por falta de oxigenação na incubadora. Aos 13 anos sofreu um acidente em uma porta de vidro e lesionou os nervos na altura das axilas, perdendo os movimentos do braço direito. Voltou a praticar o hipismo em 2002, em provas de salto e de adestramento até 2005, quando optou apenas pelo adestramento. Esta foi a terceira participação de Sérgio Oliva em Jogos Paralímpicos.

Ainda na classe Ia, Vera Lucia Mazzilli com Ballantine foi o segundo conjunto a entrar na pista na final individual de hoje. Na apresentação, a amazona de 65 anos que faz sua estreia em Jogos Paralímpicos alcançou a pontuação de 67,130% e terminou a competição em 18° lugar.

“Meu resultado poderia ser melhor, mas o meu cavalo perdeu um pouco o ritmo e em algumas figuras ele não respondeu como eu gostaria. Mas eu estou muito feliz de ter participado dos Jogos Paralímpicos em casa. Ainda mais com a minha idade, eu vejo um monte de cavaleiros tão novos e eu já com a idade avançada, é muito emocionante”, contou Vera.

Nesta sexta-feira, 16, acontecem as finais estilo livre de todas as classes e o Brasil terá dois representantes: Marcos Fernandes Alves, na IB, e Sergio Oliva, na IA.

0 comentários: